Foi construída a estação, e junto a primeira casa da cidade que hospedou o engenheiro. Logo depois construíram uma olaria, onde hoje fica na rua XV de Novembro com Bernardino de Campos e Tiradentes. Depois foi a vez do prédio de madeira de Zeca Barreto que residia José Feliciano, onde funcionava um armazém de secos e molhados e um hotel. A primeira igreja da cidade, São José do Bonfim foi construída em 1888 pelo Sr. Francisco Rodrigues dos Santos Bonfim. As primeiras casas surgiram na rua Bonfim e depois na XV de Novembro, e assim apareceram as duas primeiras ruas da cidade.

Em 23 de novembro de 1883 foi inaugurada a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. Nesta época o maior número de imigrantes era italiano, vindos de Sicília, Calábria, Nápoli e Vêneto. Cravinhos se emancipou politicamente em 22 de julho de 1897, pela lei número 511.


A ORIGEM DO NOME "CRAVINHOS"

O nome Cravinhos origina-se da flor Cravina, pequenos cravos, que havia em grande quantidade nos canteiros da Fazenda Cravinhos e na região. 
Nome comum: Cravina 
Nome científico: Dianthus chinensis hybrida
Origem: Ásia e Europa
Família: Caryophyllaceae


SÍMBOLOS CRAVINHENSES

BRASÃO MUNICIPAL

O brasão oficial de Cravinhos foi instituído pela lei nº 22/06, de 05 de setembro de 1966, pelo então prefeito municipal Sr. José Vessi, com a criação artística de Ede Verneck. 
Cada parte do brasão expressa um significado:

ESCUDO: Como convenção da época, o estilo segue o ditame do português clássico, com a coroa que representa o município acima do escudo que é subdividido em quatro partes: